11 janeiro 2015

O pintor

O pintor, seja ele quem for, enquanto pinta, pratica uma teoria mágica da visão. Ele terá de admitir que as coisas passam por si ou que, segundo o dilema sarcástico de Malebranche, o espírito sai pelos olhos para ir passear pelas coisas, uma vez que não cessa de ajustar nelas a sua vidência. (Merleau-Ponty, 1960, O Olho e o Espírito, p.27)